CidadesJovem

Jovem sem habilitação atropela de motocicleta mulher em São Gonçalo

0
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Vinícius Rodrigues 06/05/2013

Segundo populares, pai do atropelador teria assumido a culpa do acidente no bairro do Porto Novo, porém é desmentido por testemunhas. Vítima fraturou uma das pernas

Um atropelamento no início da tarde desta segunda-feira terminou com uma pessoa ferida em São Gonçalo. Segundo testemunhas, um jovem de 20 anos e sem habilitação, estaria pilotando uma motocicleta quando atingiu uma mulher de 55 anos na Rua Francisco Portela, altura do número 120, no bairro do Paraíso, sentido São Gonçalo.

O pai do jovem, que chegou momentos depois ao local do acidente, teria assumido a culpa do atropelamento, mas foi desmentido por populares. O trânsito ficou interditado na pista da esquerda e houve engarrafamento até a altura do bairro Porto Velho.

Testemunhas disseram que tudo aconteceu por volta de 1h20, quando a Representante Comercial, Marione Assis de Almeida, foi atravessar a rua. O jovem, que teve o nome preservado, teria invadido a pista contrária, sentido São Gonçalo, quando a atingiu. Socorrida por pedestres, a vítima foi atendida por bombeiros do município e Guardas Municipais cerca de 20 minutos após o ocorrido.

O trânsito para os motoristas que seguiam sentido Niterói, foi desviado para a Rua Paul Leroux, sentido bairro do Gradim: “Eu estava passando na rua e tomei um susto com a freada da moto. Quando percebi, ela já estava no chão e com fortes dores pelo corpo. Aqui o trânsito é muito movimentado. É buzina o dia todo”, disse o corretor de imóveis Márcio Santos Nogueira, 43 anos.

Segundo informações dos paramédicos do 3º Grupamento do Corpo de Bombeiros (São Gonçalo), no momento da queda, após a colisão com a motocicleta, Marione teria batido com a cabeça no chão, o que a fez perder a consciência por alguns segundos.

Pai confessa que mentiu para proteger o filho- O pai do jovem que estava conduzindo a motocicleta chegou momentos depois ao local do acidente e se apresentou aos bombeiros como condutor da moto, o que foi rapidamente desmentido por um amigo da vítima. Questionado, ele confessou ter chegado depois. “Não adianta mentir, né? Não fui eu que estava conduzindo, mas como a moto está no meu nome eu vim e mostrei meus documentos. Meu filho não tem carteira de motorista e está tirando. Ele tinha saído de casa há poucos minutos”, disse o homem sem se identificar.

A vítima foi levada ao Pronto Socorro de São Gonçalo, no Centro. Segundo a secretaria Municipal de Saúde, ela foi medicada, encontra-se lúcida e orientada. Ela teve fratura na perna direita e ficará em observação no setor ortopédico até a cirurgia. O estado de saúde dela é estável. A moto foi periciada no local e liberada em seguida. O caso foi registrado na 73ª DP (Neves).


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 0 comentário(s)

Nenhum comentário.

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.