Oportunidades

Profissionais de Tecnologia da Informação em alta no mercado

3
Tamanho da fonte: A- A+ Por: Priscilla Aguiar 07/04/2013

Área de TI terá escassez de 45 mil profissionais até 2020. Salários podem chegara R$ 20 mil. Dados da Brasscom mostram que o setor emprega 1,3 milhão de profissionais

Com o mundo cada vez mais tecnológico, o mercado de trabalho para as profissões ligadas à área de tecnologia segue cada vez mais aquecido. A previsão da Associação Brasileira de Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), é que até 2016 haja um crescimento de 30% na área de Tecnologia da Informação (TI).

Dados da Brasscom mostram que o setor emprega atualmente 1,3 milhão de profissionais. Até 2020, o segmento precisará de 750 mil novos trabalhadores para alcançar a meta de elevar sua participação do PIB de 4,5 para 6,5%. Projeções da Brasscom também indicam que 78 mil novos profissionais serão demandados nos oito principais mercados de TI no Brasil, mas apenas 33 mil estudantes concluirão os cursos superiores da área nesses estados (Rio de Janeiro, São Paulo, Distrito Federal, Paraná, Minas Gerais, Bahia, Pernambuco e Rio Grande do Sul), resultando em uma falta de 45 mil profissionais.

Com um mercado amplo e formações diversas, o interessado em ingressar na área de TI pode fazer cursos como, sistemas de informação, engenharia da computação, engenharia de produção 2.0, tecnologia em redes de computadores, tecnologia em banco de dados, tecnologia em internet e tecnologia em análise e desenvolvimento de sistemas. A duração dos cursos é entre 2 e 5 anos, passando pelos cursos tecnológicos com formação específica e rápida, até cursos de bacharelado com duração de 4 a 5 anos.

O salário de um profissional de TI pode variar de R$ 3 mil a R$ 20 mil. Entre as áreas de atuação estão desenvolvimento de sistemas, banco de dados, suporte em infraestrutura, segurança de informações, e gerência de projetos.

De acordo com especialistas, os profissionais mais escassos são analista e programadores de linguagens Net e Java, especialista em File Net e consultores SAP. Além de administradores de banco de dados, arquitetos de software, especialistas em infraestrutura e segurança da informação e analista de requisitos.

O diretor acadêmico da Faculdade de Tecnologia da Informação (Fiap), Wagner Sanchez, que atua há mais de 15 anos como consultor nas áreas de Tecnologia e Gestão, ressalta que o profissional de TI possui oportunidades em todos os segmentos da economia, o que explica a grande carência deste profissional.

“TI está presente em 100% do nosso meio corporativo e também muito fortemente presente em nosso cotidiano. Para que tudo funcione perfeitamente, temos profissionais de TI envolvidos. Quando acordamos pela manhã, por exemplo, ligamos a TV para assistir ao jornal do tempo, tem Tecnologia da Informação presente na transmissão da TV a cabo e muito fortemente na previsão do tempo. Depois acionamos o forno de micro-ondas, temos um software instalado dentro deste aparelho para fazer o controle da emissão das ondas versus o tempo solicitado. Enfim, o profissional de TI pode atuar em qualquer empresa de forma correlata, como, por exemplo, num consultório médico, para sua informatização, ou diretamente em empresas que vendem tecnologia, como desenvolvimento de softwares, segurança, administração de dados e internet, entre outros”, explica.

O crescimento econômico do País também contribui para o aumento da demanda por profissionais de TI. Mas por falta de mão de obra brasileira, muitos profissionais estão sendo trazidos de outros países, aponta Sanchez.

“Se em um momento temos a indústria aumentando seus investimentos, aumenta a demanda por profissionais de TI, se temos os bancos investindo, também cresce a demanda por profissionais de TI. Desta forma, temos sempre uma grande demanda por profissionais de TI, pois observamos vários segmentos crescendo e investindo no Brasil. Outro fator interessante é a nova migração europeia que estamos presenciando. Em meados de 1500 tivemos os colonizadores europeus desembarcando aqui no Brasil, hoje temos profissionais de TI, principalmente, portugueses e espanhóis, sendo trazidos pelas grandes empresas”, afirma.

Para Kleuber Batista, diretor de Apoio à Gestão, à frente da gerência de Tecnologia da Informação e de Recursos Humanos da empresa Cast, que desenvolve soluções em tecnologia, o profissional de TI precisa ter um bom raciocínio lógico, ter visão sistêmica, ser dedicado, comprometido e buscar sempre atualizações, senão ficará obsoleto rapidamente. Conhecimentos em inglês e espanhol são diferenciais. Entre as competências avaliadas pela Cast ele destaca trabalho em equipe, foco no cliente, iniciativa, comunicação, liderança e qualidade do trabalho.

Kleuber afirma que o Brasil ainda está despreparado para atender as demandas da área de TI.
“De fato há escassez de mão de obra no mercado de tecnologia da informação no Brasil. Estamos falando de um setor que exige profissionais extremamente especializados e que estejam em constante renovação de conhecimento, devido à evolução das tecnologias. Além disso, o mercado está bastante aquecido. A Cast, por exemplo, espera dobrar o número de funcionários nos próximos dois anos. A demanda está crescendo e, com isso, a necessidade de mais profissionais qualificados no mercado”, indica.

Para quem se animou com a grande oferta de postos de trabalho, o coordenador do Curso de Tecnologia em Redes de Computadores da Fundação de Apoio à Escola Técnica (Faetec), André Luiz Sobral, ressalta que o dia a dia de um profissional que trabalha na área de tecnologias é bastante corrido.
“O profissional dessa área tem um dia a dia muito acelerado, exigindo constantemente a necessidade de realizar cursos de especialização sobre novas tecnologias e também exige, quando se atua em multinacionais, a disponibilidade para viajar”, adianta.

O profissional de tecnologias pode atuar no setor público, através de concursos para instituições que desejam profissionalizar sua gestão, melhorando controles e a qualidade do gerenciamento e também no setor privado em empresas que da mesma forma buscam excelência em gestão, redução de custos e aceleração em seus processos.

Para quem deseja se especializar, depois de uma graduação em TI, o aluno pode optar por certificações específicas, tais como, Cisco (sistema de redes para internet), e Oracle (banco de dados). Ou investir em um MBA que trará uma maior formação para o aluno.


O FLUMINENSE


AVALIE:

 

Enviar para amigo Imprimir

Comente a Notícia

Os comentários são de total responsabilidade de seus autores e não representam a opinião do Grupo O Fluminense. Mensagens que contenham ofensas, acusações e palavrões ou xingamentos não serão publicadas.

Comentários

Esta matéria possui 0 comentário(s)

Nenhum comentário.

O conteúdo deste campo é privado não será exibido ao público.

Publicidade:



Redes Sociais






Fale com
a Redação

(21) 2125-3065