28
Qui, Maio

Witzel desmente secretário e garante a entrega de todos os hospitais de campanha

Governador levantou a possibilidade de uma segunda onda de contaminação - Foto: Reprodução

Rio de Janeiro
Typography
  • Smaller Small Medium Big Bigger
  • Default Helvetica Segoe Georgia Times

O governador Wilson Witzel garantiu que todos os hospitais de campanha do Estado serão entregues. O pronunciamento vem após o secretário de Estado de Saúde, Fernando Fery, declarar nesta semana que algumas unidades teriam as obras paralisadas.

Em uma publicação nas redes sociais, Witzel reafirmou que é preciso garantir o atendimento às população e que há preocupação com a possibilidade de uma segunda onda de contaminação.

"Todos os hospitais de campanha serão entregues. Junto com o comitê de especialistas e o secretário de Saúde, Fernando Ferry, ratificamos a preocupação com a segunda onda da doença. Estamos seguros sobre o atendimento às pessoas e garantiremos a retomada da atividade econômica", publicou o governador.

Nesta semana, Ferry disse à imprensa que a inauguração de todas as unidades hospitalares voltadas ao atendimento de pacientes com covid-19 seria desnecessária. Ele atribuiu isso aos atrasos na entrega dos hospitais e, segundo ele, à taxa de declínio dos casos do novo coronavírus no estado do Rio. Fernando Ferry chegou a citar que entre as unidades que poderiam ser paralisadas estavam a de Casimiro de Abreu, a última prevista no cronograma de entrega do Iabas.

Diante da declaração do secretário, o prefeito de Campos dos Goytacazes, onde deveria ser inaugurado o penúltimo hospital de campanha, procurou o governador para cobrar a conclusão das obras e garantir o atendimento à população.

"Acabei de falar com o prefeito de Campos, Rafael Diniz, e o tranquilizei sobre a entrega do hospital de campanha da cidade. Há muitas dificuldades a serem enfrentadas para que, no menor prazo possível, tudo esteja pronto e operando. Vamos vencer. Seguimos firmes", contou Witzel.

Atrasos

Sete hospitais de campanha do Governo do Estado deveriam estar em funcionamento desde o dia 30 de abril. Mas, até agora, apenas o do Maracanã foi inaugurado. As unidades do Parque dos Atletas e do Leblon foram construídas com apoio da iniciativa privada. Estão atrasadas as entregas das unidades de São Gonçalo, Nova Iguaçu, Duque de Caxias, Nova Friburgo, Campos e Casimiro de Abreu.

A Iabas, organização social responsável pela construção e administração dos hospitais de campanha do Estado, emitiu uma nota nesta semana que estava "feliz" com a possibilidade de paralisar as operações.

“Caso as curvas de incidência de covid-19 venham determinar a possibilidade técnica da descontinuidade da implantação dessas unidades, afirmamos, muito sinceramente, que estaremos felizes em paralisar nossas operações”, dizia a nota.

Após cobranças de órgãos públicos, a Secretaria de Estado de Saúde divulgou um cronograma com a data limite para a entrega dos hospitais em atraso:

São Gonçalo - 27 de maio
Nova Iguaçu - 29 maio
Duque de Caxias – 1º de junho
Nova Friburgo - 7 de junho
Campos dos Goytacazes - 12 de junho
Casimiro de Abreu - 18 de junho

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.