02
Ter, Jun

Itaboraí será o primeiro município da região a usar uma ambulância com cápsula de isolamento - Foto: Divulgação

Itaboraí será o primeiro município da região a usar uma ambulância com cápsula de isolamento. O novo equipamento começará a ser utilizado para fazer o transporte de pacientes infectados com o novo coronavírus no município.

A novidade foi anunciada nesta terça-feira (2) pela Secretaria Municipal de Saúde que, na oportunidade, reuniu a equipe de médicos e enfermeiros do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU, para realizar o treinamento para manuseio correto do equipamento.

Agora, a ambulância de suporte avançado está equipada com uma maca encapsulada que evita que o novo coronavírus se dissemine, trazendo mais segurança para os profissionais da saúde que atenderem pacientes com Covid-19.

O equipamento funciona como uma capa de proteção que envolve a maca do paciente. A cápsula de isolamento possui acessos para a passagem dos cabos de equipamentos e monitores, bem como os dutos para respiradores mecânicos. A ambulância equipada com a cápsula possui também os instrumentos básicos de uma Unidade de Tratamento Intensivo – UTI móvel.

A utilização da cápsula de isolamento irá permitir, ainda, que os profissionais de saúde possam executar as ações necessárias com o paciente em segurança.

“Nossos esforços para conter a Covid-19 estão se multiplicando a cada dia. O equipamento vai evitar que os profissionais de saúde sejam contaminados pela doença. Se for necessário algum tipo de manuseio no paciente ou no equipamento, a cápsula tem um local específico onde o profissional pode colocar as mãos, sem ter contato com a vítima”, comentou o secretário de Saúde, Júlio Ambrósio.

A cápsula faz a filtragem constante do ar através de um exaustor, evitando que este ar seja exposto dentro da ambulância e nos espaços por onde a maca se desloca durante o transporte do paciente até o local de destino, podendo ser utilizada ainda em qualquer situação em que envolva um paciente com qualquer tipo de infecção viral. O paciente também poderá aguardar dentro da cápsula até ser isolado em outro ambiente.

 

Com o criminoso, foram encontrados um revólver e drogas - Foto: Divulgação

Policiais do 35ºBPM (Itaboraí) prenderam na tarde desta segunda-feira (1) um homem acusado de tráfico de drogas na Estrada do buraco quente, em Cabuçu, Itaboraí.

Segundo os agentes, uma denúncia anônima informou o local que criminosos estavam traficando as drogas e, ao chegarem no endereço, foram recebidos com disparos, iniciando uma troca de tiros.

Com o cessar dos disparos, policiais localizaram um dos acusados ferido de raspão na barriga. Na operação foram apreendidos um revólver calibre 38, drogas e um rádio transmissor.

O caso foi registrado na 71ªDP (itaboraí).

Foram apreendidos diversos equipamentos elétricos - Foto: Divulgação/PMERJ

Um casal foi preso, na manhã desta sexta-feira (29), por furtar lojas no Centro de Itaboraí. Com eles, foram encontrados diversos equipamentos elétricos, celulares e video-games.

De acordo com o 35º BPM (Itaboraí), agentes do batalhão estavam em paturlhamento pela Av. 22 de Maio, quando foram avisados por pedestres que havia um casal furtando lojas. Foram feitas buscas e os militares viram um casal com as mesmas características.

Ao perceberem que seriam abordados, tentaram fugir mas os policiais consgeuiram capurar o casal. Com eles, foram apreendidos video-games Mega Drive, serras tipo elétricas "tico-tico", máquinas de furar, esmerilhadeira, compressor, liquidificador, dois celulares e um carregador portátil.

A ocorrência foi registrada pela 71ª DP (Itaboraí).

Policiais da 35ºBPM (Itaboraí) capturaram um criminosos portando uma pistola com numeração suprimida e com material entorpecentes, no bairro Penedo - Foto: Divulgação

Policiais do 35ºBPM (Itaboraí) prenderam no início da tarde desta segunda-feira (1) um homem acusado de tráfico de drogas na Rua 24, no bairro Penedo, em Itaboraí. 

Os agentes realizavam uma patrulha pelo endereço quando foram recebidos a tiros e houve confronto. Após a troca de tiros um dos criminosos foi capturado pela polícia portando uma pistola com numeração suprimida e com material entorpecentes. Também foi apreendido um rádio transmissor. 

 O caso foi registrado na 71ªDP para apreciação dos fatos. 

*Ocorrência em andamento. 

 

 

No Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher, Itaboraí alerta que um diagnóstico precoce irá dar a possibilidade de um tratamento o mais breve possível - Foto: Divulgação

Nesta quinta-feira (28), Dia Internacional de Luta Pela Saúde da Mulher, a Secretaria de Saúde de Itaboraí quer reforçar a importância dos exames preventivos para a saúde feminina como prevenção de cânceres de mama e de colo de útero.

As equipes de Saúde da cidade alertam que somente um diagnóstico precoce irá dar as mulheres a possibilidade de um tratamento o mais breve possível, aumentando as chances de uma melhor qualidade de vida do paciente.

De acordo com dados do Departamento de Controle, Avaliação e Auditoria municipal, são feitas por mês, em média, 500 mamografias na cidade. Ainda, outros 5.300 exames preventivos foram feitos no ano de 2019.

Em Itaboraí, o Programa de Atenção Integral à Saúde da Mulher (PAISM), e as Unidades Básicas de Saúde vem oferecendo orientação, acompanhamento e acolhimento das mulheres no que diz respeito à saúde feminina.

“As unidades de saúde de Itaboraí possuem equipes treinadas e capacitadas para dar auxílio às pacientes com relação aos exames preventivos. É muito importante que as mulheres façam o autoexame da mama e também que procurem um profissional para realizar os pedidos de exames de mamografia e ainda colher os preventivos de papanicolau, para prevenção do câncer de colo do útero”, alerta a coordenadora do PAISM, Flávia Vilas Boas.

Apesar dos avanços tecnológicos, os cânceres que acometem o público feminino ainda continuam com altos índices de mortalidade, sobretudo em função do diagnóstico tardio. De acordo com o Ministério da Saúde e o Instituto Nacional de Câncer (Inca), a idade preferencial para realização do exame de mamografia é entre 50 e 69 anos, a cada dois anos. Toda mulher que tem ou já teve vida sexual, deve submeter-se ao exame preventivo de Papanicolau periodicamente, especialmente as que têm entre 25 e 59 anos. O exame deve ser feito anualmente.

A Saúde alerta para que todas as mulheres devem buscar uma unidade de referência mais próxima da residência para e conversar com o profissional para marcar uma consulta para avaliação médica.

No ano de 2019, foram realizados 9.649 atendimentos com médicos pediatras em crianças - Foto: Divulgação

Nesta segunda-feira (1º), quando se comemora o Dia Internacional da Criança, a Secretaria de Saúde quer mostrar a atenção especial que o município de Itaboraí disponibiliza aos pequenos pacientes da cidade.

Antes de mostrar os números de atendimentos registrados, a Secretaria de Saúde lembra que, por determinação do Ministério da Saúde, para evitar o risco de contaminação da Covid-19, as consultas eletivas em todas as unidades de saúde estão acontecendo temporariamente com restrições.

De acordo com levantamento do setor municipal de Geoprocessamento, no ano de 2019 foram realizados 9.649 atendimentos com médicos pediatras em crianças (de 0 a 12 anos) e 1.911, neste primeiro quadrimestre de 2020, em 38 unidades de atenção primária à saúde.

Já no Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, em Nancilândia, onde as crianças têm à disposição atendimento com especialistas pediátricos 24h por dia, de janeiro a maio deste ano, 8.274 crianças foram atendidas por pediatras. Destas, 36 necessitaram de internação.

Itaboraí também possui atendimentos de puericultura, onde médicos e enfermeiros acompanham o desenvolvimento e crescimento da criança, em todas as unidades de saúde. Nestes acompanhamentos é possível detectar precocemente distúrbios como do crescimento estatural, de nutrição e neuropsicomotor, antes que cheguem a causar prejuízos irreversíveis.

O Ministério da Saúde sugere um calendário mínimo de consultas de puericultura, organizado da seguinte forma: uma consulta até os 15 dias de vida, seguida por uma consulta com um, dois, quatro, seis, doze e dezoito meses, fechando sete consultas dentro do primeiro um ano e meio de vida.

Os atendimentos específicos de puericultura registraram em 2019 a marca de 13.346 crianças atendidas na cidade. E neste primeiro quadrimestre de 2020, 2.847 atendimentos.

Assim, Itaboraí registra a marca de 13.032 atendimentos infantis nestes primeiros cinco meses de na rede pública de saúde. “Durante este período em que estou atuando na Secretaria de Saúde da cidade, pude fazer diversos investimentos destinados ao público infantil, desde ampliação do número de consultas, pela contratação de novos pediatras e reforma da enfermaria de pediatria do hospital Leal Júnior, valorizando ainda mais este tipo de serviço e beneficiando a população com os investimento”, comentou o secretário, Júlio Ambrósio.

Escola fez a distribuição de um kit escolar, que contém livros didáticos, lápis, borracha e apontador - Foto: Divulgação

A Escola Municipalizada Aldeia Velha, em Manilha, está utilizando de redes sociais como WhatsApp e Facebook para troca de informações com os responsáveis dos alunos sobre as aulas, exercícios e qualquer dúvida que precise ser sanada. Um cronograma com horários e dias foi criado e passado para os alunos do Ensino Fundamental I (1º ao 5º ano) receberem as atividades que deverão ser feitas, sempre com auxílio dos pais e professores, usando os canais citados.

Durante a manhã desta quarta-feira (27), a escola fez a distribuição de um kit escolar, que contém livros didáticos, lápis, borracha e apontador, e será utilizado a partir desta segunda-feira (1º). A diretora geral, Rosemere Neiva falou desse método que a escola adotou.

“Estamos trabalhando com a Plataforma Digital, para os alunos do Ensino Fundamental II (6º ao 9º) e usando os kits com os alunos até a 5º ano, para isso decidimos usar o WhatsApp como aliado. A Plataforma, que é um projeto desenvolvido pela Secretaria Municipal de Educação, junto com o Whatsapp, que foi a forma que encontramos de colocar nossa escola na casa dessas famílias, são dois meios para que nossos estudantes continuem a aprender. Nós temos uma representante do conselho escolar que faz contato comigo e a diretora adjunta para tirar as dúvidas dos responsáveis. Esse é um trabalho muito importante”, disse a diretora, acrescentando que os professores aderiram a essas novas formas de ensino com muita responsabilidade.

“Como as crianças não podem vir para a escola, prefiro vir aqui buscar o material, porque assim a gente consegue fazer as atividades com ela em casa. Esse período tem sido difícil, porque criança quer ter algo para fazer o dia inteiro, ela sente muita falta de vir para a escola, mas com os livros vai ficar bem fácil”, contou Marcilene Telles, mãe da aluna do 5º ano, Tamires Telles.

A diretora adjunta, Marilda de Paula explicou como vai funcionar as aulas. “As atividades vão ser aplicadas através das redes sociais citadas acima, pelos professores, três vezes por semana. Segunda e quarta de 13h às 17h, e sexta-feira de 13h às 15h, são nesses horários e dias que os pais vão poder tirar dúvidas e pedir auxílio dos professores para ajudar as crianças nas atividades”, completou Marilda.

É considerado curado aquele paciente que não apresenta mais os sintomas - Foto: Divulgação / Prefeitura de Itaboraí

Nesta sexta-feira (29), a cidade de Itaboraí contabiliza 1.065 pessoas recuperadas da covid-19. Os números foram divulgados pelo Departamento de Epidemiologia municipal nesta manhã.

A Secretaria de Saúde esclarece que todos passaram pelo período de quarentena, tempo que devem ficar isolados para evitar a transmissão para outras pessoas, e não apresentam mais os sintomas.

O médico pneumologista Dr. Rodolfo Behrsin explica como se dá o ciclo da doença, que não tem um remédio específico para seu combate. O conceito de cura é a ausência dos sintomas. Dessa forma, o paciente que consegue passar pelo ciclo do vírus, cuidando das suas complicações, está recuperado.

“Como em qualquer virose, os pacientes precisam passar pelo ciclo do vírus para serem curadas. Com relação ao novo coronavírus, o que vemos é que um grupo significativo apresenta um quadro mais grave. São os que necessitam de um atendimento médico e de terapia intensiva. E devido à quantidade muito grande de pessoas contaminadas, o número de pacientes que tem a necessidade da terapia intensiva está acima da média nos sistemas de saúde”, explicou Rodolfo, lembrando que não só o Brasil, mas também outros países mais ricos estão vivendo o mesmo conflito.

 

Atendimentos médicos ficaram por quase dois meses suspensos por determinação do Ministério da Saúde - Foto: Divulgação

Na cidade de Itaboraí, há exatos dez dias, a Secretaria de Saúde adotou a decisão de retomar com as consultas ambulatoriais eletivas, que haviam sido suspensas desde o mês de março, em razão do risco de contaminação pela Covid-19. E desde então, 200 consultas já foram agendadas pela equipe de profissionais da Central de Regulação Municipal.

A volta do serviço foi efetivado dia 18 de maio e, os atendimentos médicos que ficaram por quase dois meses suspensos por determinação do Ministério da Saúde, foi recebido como um sentimento de alívio para os pacientes.

É o caso da dona Kátia Regina da Conceição, de 45 anos, moradora do Apollo. Ela conta que ficou muito preocupada com seu estado de saúde, mas que nem na rede particular os médicos estavam atendendo neste período. “Fiquei muito feliz ao receber a ligação da Secretaria de Saúde com a profissional dizendo que minha consulta para a gastroenterologista estava marcada. É um alívio e hoje saio do consultório satisfeita com o atendimento que recebi aqui”, comentou a paciente aliviada.

“Os atendimentos ainda estão reduzidos, mas já estamos adaptando outros locais para ampliar a oferta de consultas eletivas para que nossos pacientes possam dar continuidade aos tratamentos, mas sem que fiquem em risco de contaminação pela Covid-19. Neste momento temos dois pontos de atendimento (Nancilândia e no Centro Cardiológico), e logo iremos ofertar outros”, esclareceu o secretário de Saúde, Júlio Ambrósio.

As consultas estão acontecendo na sede da Secretaria de Saúde, no bairro de Nancilândia, neste momento em que as policlínicas da cidade se transformaram em pólos exclusivos para acolher os pacientes com suspeita da síndrome respiratória e realizar testes rápidos para diagnósticos da Covid-19.

Neste período estão sendo agendadas consultas para nove diferentes especialidades: cardiologia, gastroenterologia, dermatologia, urologia, endocrinologia, otorrinolaringologia, proctologia, ortopedia e neurologia. Todas as consultas que haviam sido desmarcadas também já estão sendo agendadas pela equipe da Central de Regulação e estão acontecendo em dois turnos, tanto na parte da manhã, quanto a tarde.

Os contatos para agendamentos com os pacientes estão sendo realizados por telefone. Por dia, são agendados, em média, 20 pacientes para cada especialidade e os agendamentos obedecem os critérios de classificação de risco de cada pessoa, alerta a Secretaria de Saúde da cidade.

Para garantir a segurança dos profissionais e também dos pacientes, o momento de espera do paciente para entrar no consultório é feito em área externa, completamente arejada, preconizando o distanciamento social como forma de prevenção. Antes de ser chamado para entrar no consultório, todos pacientes, que devem fazer uso de máscara de proteção, higienizam as mãos com álcool 70. Já os médicos trabalham com equipamentos de proteção individual como máscaras, óculos, aventais e luvas, seguindo rigorosamente os protocolos de segurança para evitar a contaminação.

Prefeitura deverá aumentar as campanhas de conscientização da população - Foto: Divulgação

A Justiça determinou que o município de Itaboraí intensifique a fiscalização do cumprimento das normas de restrição e medidas de isolamento social na cidade. O município também deverá intensificar, inclusive através das redes sociais, as campanhas de conscientização sobre as medidas restritivas em vigor, bem como sobre os riscos decorrentes da não adesão ao isolamento, alertando para os índices de contaminação. 

A decisão atende o pedido do Ministério Público do Estado e ocorreu no âmbito de ação civil pública, que requer a fiscalização do cumprimento do decreto 070/2020 (ou similar), por meio de seus agentes de fiscalização, coibindo todo e qualquer tipo de conduta que o viole; garantindo o cumprimento das suspensões de funcionamento e das restrições de funcionamento previstas no decreto 070/2020 (ou similar), identificando e autuando os responsáveis, encaminhando-os à autoridade policial competente para adoção das medidas necessárias, solicitando apoio das Polícias Militar e Civil para lavratura de Registro de Ocorrência ou Termo Circunstanciado de Ocorrência, em razão de infrações cometidas, sempre que as sanções previstas se revelarem insuficientes para fazer cessar a prática reiterada de infrações pelos estabelecimentos, em ostensiva desobediência às determinações legais; aplicando sanções aos estabelecimentos que desobedecerem às suspensões e restrições previstas no decreto 070/2020 (ou similar); e abordando os particulares com informação/esclarecimento sobre a necessidade do isolamento.

O MPRJ requer ainda que o Município atue auxiliando, amparando e recomendando comportamentos adequados ao isolamento social determinado nos decretos e na decisão judicial; adotando medidas de desestímulo à ocupação dos espaços públicos, especialmente fiscalizando: ausência de máscaras no transporte; ausência de máscaras em vias públicas; frequência a praças, bares e parques públicos; frequência a áreas bloqueadas ou restritas; adotando nas áreas com maior adensamento populacional carência de serviços públicos, dificuldade de acesso, incidência da ação de grupos criminosos, baixo IDH, risco social, linha de ação que leve em conta as peculiaridades da área e avaliação do risco; priorizando o diálogo com entidades da sociedade civil e associações de moradores no planejamento das ações necessárias; priorizando o apoio às demandas sociais, com o encaminhamento aos serviços públicos; determinando a fiscalização de estabelecimentos, para verificar o cumprimento das medidas (disponibilização de insumos de higiene, distâncias em filas, impedimento de aglomerações), devendo ser aplicada a sanção cabível.

Em caso de descumprimento, o MPRJ requer que seja imposta multa diária, no valor de R$ 10 mil, na pessoa do prefeito de Itaboraí. Cabe lembrar que, imediatamente no início da pandemia de covid-19, a 1ª Promotoria de Justiça de Tutela Coletiva instaurou procedimento visando ao acompanhamento das medidas adotadas pelo Município no combate ao vírus, analisando eventual simetria com Decretos Estaduais e constatando o efetivo cumprimento das medidas restritivas já determinadas pelo Ministério da Saúde e pelo Estado do Rio de Janeiro. Diante da instauração, foi encaminhada a Recomendação Ministerial número 008/2020.

Em cumprimento à recomendação, o município tem encaminhado relatórios de vistorias realizadas pelas equipes de fiscalização, indicando as diligências realizadas e as medidas adotadas em vista do teor do Decreto Municipal em vigor. A despeito das 56 ações realizadas desde o início da pandemia até a última terça-feira (26), recentemente foram encaminhadas ao Parquet em 20/05, fotos e vídeos nos quais foi possível constatar que, em Itaboraí, as regras de isolamento social impostas pelo Decreto não estariam sendo adequadamente cumpridas. Em diversas fotos verifica-se que estabelecimentos cujas atividades não são essenciais, como lojas de roupas e calçados, estão em funcionamento, com portas parcialmente abertas. Constata-se, ainda, intensa movimentação de pessoas em calçadas que aparentam ocorrer no centro da cidade, sendo necessário e relevante que haja fiscalização no local, orientando as pessoas a manterem distanciamento físico entre si, aplicando, se for o caso, as sanções previstas em Lei.

Na segunda-feira, número de óbitos chegou a 71 - Foto: Divulgação

Na última terça-feira, dia 19, no primeiro balanço de óbitos pela covid-19 em Itaboraí, a cidade já somava 50 óbitos. Em sete dias o número saltou para 71. Os dados foram divulgados pelo setor de Vigilância Epidemiológica de Itaboraí, junto com um panorama completo dos óbitos confirmados até então no município. A equipe de epidemiologia da cidade informa que nem todos os óbitos confirmados daquele dia são de mortes ocorridas naquelas 24h. O teste para pessoas que já faleceram tem um prazo maior para se obter o resultado.

“As informações que divulgamos são muito delicadas, trabalhamos com vidas, então precisamos ter o máximo de cuidado possível. Algumas mudanças acontecem nos dados divulgados porque encontramos detalhes que não batem, ao irmos investigando os casos, então constantemente corrigimos nossos registros”, explicou a coordenadora de Vigilância Epidemiológica, Carolina Lima.

No dia 20 de maio, quarta-feira, primeiro dia após o balanço, Itaboraí confirmou mais dois óbitos por coronavírus. Um senhor de 68 anos, morador de Manilha, que havia falecido no dia 11 do mesmo mês na UPA do bairro e uma moradora do bairro Rio Várzea, de 22 anos, que veio a óbito no dia 03 de abril no Instituto Nacional de Câncer.

Na quinta-feira, dia 21, quatro óbitos foram divulgados, chegando ao total de 56 mortes pela covid-19. Uma senhora, de 67 anos, moradora de Cabuçú, que faleceu no dia 12 de maio no Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior. Além de dela houve três senhores: um de 79 anos, morador de Sambaetiba, no dia 14 de maio; um de 68, que faleceu no dia 07 de maio, e morava em Retiro São Joaquim; e o último de 82 anos, que vivia no bairro Quissamã, morreu no dia 10 de maio. Os três senhores faleceram no Hospital Leal Júnior.

Cinquenta e nove óbitos, no total. Foi o número divulgado na sexta-feira, dia 22 de maio. Três novas mortes pela covid-19 haviam sido confirmadas. Uma ocorreu no Hospital Regional Darcy Vargas, uma moradora de Vila Brasil, de 61 anos, que faleceu no dia 11/05. As duas outras mortes aconteceram no Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, no dia 20 de maio; uma senhora de 78 anos, moradora do Novo Horizonte e uma moradora do bairro Cabuçú, de 74 anos.

No dia 23, último sábado, a equipe e vigilância epidemiológica de Itaboraí confirmou mais um óbito. Um senhor de 60 anos, morador do centro de Manilha, que havia falecido no dia 17 de maio no Leal Júnior.

No domingo, dia 24, cinco óbitos foram registrados o município, totalizando 65 mortes por coronavírus. Duas senhoras faleceram no Hospital Municipal; uma de 72 anos, moradora do Rio Várzea, que veio a óbito no dia 22 de maio e outra de 81 anos, do bairro Ampliação, que faleceu dia 20 do mesmo mês. Os outros três óbitos faleceram também no Hospital Leal Júnior; um morador do bairro Colônia, de 71 anos, que morreu no dia 12 de maio; um jovem de 44 anos, que morava em Ampliação e faleceu dia 22; o último paciente faleceu também no dia 22, um morador de Calundu, de 63 anos.

Sessenta e oito óbitos foi o número divulgado na segunda-feira, dia 25, em Itaboraí. As três confirmações vieram do Hospital Municipal Desembargador Leal Júnior, nos dias 22, 23 e 24 de maio. Uma senhora de 83 anos, que morava em Marambaia, um jovem de 41, morador do bairro Esperança e uma mulher de 86 que morava em Manilha, respectivamente.

Já no último boletim divulgado nesta segunda-feira, dia 25 de maio, o município de Itaboraí acumulava 71 mortes por covid-19, confirmadas pela equipe de Vigilância Epidemiológica. Uma senhora de 76 anos, moradora do bairro Esperança, que havia falecido no dia 07 de maio, na UPA de Rio Bonito; um jovem, ex-morador do Novo Horizonte, de 34 anos, que veio a óbito no dia 24 de maio no Hospital Municipal. O último óbito divulgado era um morador de Rio Várzea, de 82 anos, que morreu no dia 25 de maio, também no Hospital Leal Júnior.

Todos os óbitos por coronavírus divulgados foram investigados com exames laboratoriais específicos e tiveram resultados positivos. Mudanças nas informações, como números e bairros divulgados pela equipe de Vigilância Epidemiológica, ocorrem diariamente, pois as investigações são aprofundadas e os dados são conferidos.

Os óbitos confirmados diariamente na página oficial da Secretaria de Saúde, na maioria das vezes, não ocorreram no dia da divulgação. Podem ser óbitos de datas anteriores, cujo resultado do exame laboratorial só foi liberado no dia da confirmação.

Mais Artigos...

Inscreva-se através do nosso serviço de assinatura de e-mail gratuito para receber notificações quando novas informações estiverem disponíveis.